quinta-feira, 18 de agosto de 2016

RESENHA: LUXÚRIA (HERANÇA DE SOMBRAS) - J. BIZATTO.


Cupcakes, estou de volta com mais uma resenha. A de hoje, é do livro da linda parceira J. Bizatto!


LIVRO: Luxúria – Herança de Sombras.
AUTOR (A): J. Bizatto.
PÁGINAS: 340.
SINOPSE: “Samantha cresceu nos luxos e tradições de sua família desde cedo, aprendeu a não perguntas. Ela não precisa saber o que aconteceu com seu pai, ou porque a Vozinha não permite que as garotas saiam em noite de lua cheia, ou ainda entender a razão pela qual nenhuma Hoffer jamais morou fora da ilha, quanto menos saiu da cidade de Tormento. Ela não precisa saber, apenas obedecer.
Porém a obediência se põe a prova quando Benjamin aparece em sua  insistência, com seu charme e com sua tendência a aparecer no momento que ela mais precisa. De repente o certo parece errado, e o errado... Irresistível!
“Samantha e Tormento não sabem, mas suas vidas jamais serão as mesmas.”



“Nem toda inocência sobrevive ao destino, mas todo segredo nasce com a promessa de um dia ser revelado.”


Este livro conta a história de Samantha, uma garota aclamada por sua beleza incrível, igualmente as suas primas e irmã. Ela passou por momentos difíceis com a perda de seu pai, mas o surf a salvou e sua vida parece estar normalizada até que aquele par de olhos verdes chega a Tor.


Benjamin, e sua irmã Tâmisa, se mudam para cidade e desde a primeira vez que os olhos de Sam encontram os de Bem, ela se sente atraída por ele.
Por mais que ela tente negar, continuando seu namoro com Martin, Sam não pode mais escapar, ela está perdida e incondicionalmente apaixonada por Benjamin.


A obra me prendeu desde a primeira frase e quase me fez ter um ataque do coração com a última. Eu li pensando que seria só mais um romance... Nunca gostei tanto de ser enganada pelo começo de um livro!


É de uma escrita muito fácil, a moda gaúcha tchê! Bom, brincadeiras a parte, a diagramação do livro é boa, com divisão de capítulos numerados, além de a capa ser diva.


Samantha me fez sentir eu mesma, com meus problemas em alguns momentos. Quando ela estava triste, sentia uma imensa vontade de abraçá-la, assim como senti vontade de estapeá-la às vezes. Desculpe Juliana, mas em alguns momentos dava (hahaha).


Aos outros personagens, gostei muito de todos, menos do Martin... Que pessoa duas caras, gente! Como pôde fazer o que fez? Quando li, fiquei indignada. As personagens que mais gostei foram aquelas borboletas insistentes! E ok, confesso. Já quero ser uma Hoffer.


Livro bom é assim. Traz enormes emoções, te deixa de ressaca, te faz querer mais. E eu quero mais. Não consigo parar de pensar no final, e me perguntar sobre aquela última frase. “Será que ele será capaz?”


Eu super, hiper, mega indico esse livro pro mundo inteirinho!


  Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“Eu não entendia essa obsessão por saltos, elas já não eram altas o suficiente? Tinham de me fazer sentir o próprio anão de jardim em sua presença?”

Não tinha volta, e era por que eu não queria. Eu estava triste exatamente por isso, porque o fim é triste mesmo.”


“[...] eu amo você, mas não estou mais apaixonada por você, e não consigo mais voltar a me sentir assim. Desculpe.”


“Nós devíamos ter química, física, e com certeza a biologia!”


Ps: Pelo amor das minhas estrelinhas, termine logo o segundo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário