segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

RESENHA: UMA VEZ VOCÊ, UMA VEZ EU - DIEGO MARTELLO.




Oi pessoal! Hoje é dia de resenha? É sim! E dessa vez é de Uma Vez Você, Uma Vez Eu, confere! 💗




LIVRO: Uma Vez Eu, Uma Vez Você.
AUTOR (A): Diego Martello.
PÁGINAS: 181.
EDITORA: Novo Século.
SINOPSE: Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar, o que frustra o casal. A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos. Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles.
Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade.”


“Uma Vez Você, Uma Vez Eu” é narrado por Willian, um homem que trabalha como consultor de empresas e recebe uma ótima oferta de trabalho. Fora isso, ele tem problemas gigantescos com seu pai e com sua mulher, Eva, enfrenta o problema de não conseguir ter filhos.

Levando em conta tudo isso, somado as suas inseguranças, Willian faz e refaz análises do seu interior. Em uma dessas análises, ele se reencontra com sua mãe que há muito tempo estava morta e ela o ajuda a solucionar seus problemas. Após algum tempo, ele percebe que isso não passou de um sonho, porém foi um sonho no qual encontrou muitas respostas e decidiu que faria as pazes com seu pai.

Realmente Willian e Marcos (o pai) se entendem e vão levando a vida. Contudo, em determinado momento, uma coisa surpreendente acontece e Willian percebe que mesmo se voltando para o seu interior com toda vontade, às vezes ele pode o enganar...

Tenho que confessar que no início eu fiquei um tanto quanto confusa com o rumo da história. O linguajar completamente reflexivo estava chegando a me incomodar e eu já estava começando a pensar “esse não é o meu tipo de livro”. Porém, assim como existe uma surpresa na história, houve uma surpresa em mim, quando eu percebi que estava entrando no ritmo, que estava me apegando à leitura. Eu estava mesmo gostando!

Diego (o autor) me transformou no seu personagem no decorrer da leitura, Todas as inseguranças, todos os medos, todos os questionamentos de Willian foram sentidos por mim. Isso fez com que eu invadisse os sonhos dele e ele se tornasse parte dos meus. Foi uma grande experiência.

Essa é uma daquelas obras que você vai lendo e vai pensando que é uma coisa, e no final é algo completamente diferente. E isso é legal, essa coisa de surpreender é um ponto forte na escrita.

Tive que conter meus impulsos de guardar praticamente todas as frases, pois muitas delas trazem consigo um significado maravilhoso. Trazem consigo certa magia!

O livro não foi feito para resolver os problemas do mundo (assim como é dito nele próprio), mas com uma absoluta certeza eu afirmo que seriam e é de grande ajuda para quem o lê. Ele ajuda o leitor a se entender, a se conhecer, a procurar soluções ao invés de fugir dos problemas. Algo assim é o que muitas pessoas precisam na vida!

Indico muito!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de (alguns) trechos:

“O novo, como uma locomotiva desenfreada em minha direção, me atiçaria ao movimento, à liberdade. Estava carente disso.”

“A dúvida e a insegurança podem nos fortalecer ou nos enfraquecer dependendo de nossa reação perante elas [...].”

“Lembranças, para mim, são como degraus construídos durante a vida e que até hoje me sustentam.”

“Se um dia não estiver exigindo de você, então você já não está mais vivendo”

"Por um momento, percebi que estava acostumado a me proteger sem motivos e a criar caminhos para que as coisas não acontecessem. Era mais fácil. Havia sempre a opção que me possibilitava não fazer o que não queria.”

2 comentários:

  1. Adoro esses livros que promovem reflexões e trazem esse linguajar singular, acredito que seria uma leitura agradável. A capa também é linda! Parabéns pela resenha, se aventurou e descobriu que gosta de novas coisas também!

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Carol! Muito obrigada, indico para você hein! grande abraço!

      Excluir