segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

RESENHA: ACIMA DOS DEUSES - ALEXANDRE SARMENTO.




Hoje é dia de nova resenha! Espero que gostem e que tenham a oportunidade de conhecer esse livro!!!







LIVRO: Acima dos Deuses.
AUTOR (A): Alexandre Sarmento.
PÁGINAS: 454.
EDITORA: Drago Editorial.
SINOPSE: “Quando o mago Gënnlarioneth recebe um chamado enviado pelo Clube dos Ordinários, não tem ideia do caminho que ele e seus aliados terão de enfrentar e dos desafios que terão de superar daquele momento em diante. Certamente, um caminho sem volta. Ou seria, na verdade, um retorno às origens?
Quando Lorde Glaehdre, líder da Guilda dos Duelistas, se une a velhos companheiros para descobrir os segredos por trás da existência dos míticos Agentes do Destino, ele não tem a mínima noção do que se esconde por trás das trevas que despontam no horizonte. Ou mesmo se, juntos, serão capazes de assumir o manto dos heróis que eles próprios foram um dia.
Quando Faladriel, outrora Deusa dos Aventureiros, desperta de um longo e profundo sono, descobre que ainda há muito o que fazer para provar o seu valor para o Mestre de Ohmtar. E, com a desagradável ajuda da Senhora dos Segredos, ela fará o possível para dar um fim à guerra iniciada por um antigo aliado e, hoje, seu maior inimigo. Ainda que só tenha uma chance.
Mergulhe nesta aventura épica e caminhe lado a lado de heróis e vilões, deuses e mortais, nobres e plebeus, desbravando um cenário fantástico que tem como maior ameaça a vontade do seu próprio Criador. Aquele que está acima de nós. Acima dos Mundos. Acima dos Deuses.”






“Acima dos Deuses” discorre sobre a história de um multiverso chamado Ohmtar. Esse multiverso é composto por vários mundos e o que é mais mencionado é Agrippa (o mundo material).



Inicialmente, o livro conta a história do jovem Kaleo, que mais tarde é convidado a embarcar em uma aventura ao lado do mago Geenlarioneth, do elfo-negro Ryltar, do metamorfo Logan e de um clérigo de Ohm, Mercúrio. O grupo parte com o meio-elfo Ossian atrás de um desertor do Clube dos Ordinários.



No entanto, o que eles não esperavam é que essa aventura está interligada com os chamados novos Agente do Destino, com uma guerra élfica comandada por Iwak (o deus dos elfos) e a pior de todas as coisas: uma nova Noite Mais Longa.



Ao iniciar a leitura, imaginei que seria a história da vida e aventuras do jovem humano Kaleo, mas logo depois percebi que assim como uma série que gosto muito (As Crônicas de Gelo e Fogo – George R.R. Martin), “Acima dos Deuses” não tem um personagem principal especificado, pois todos eles (muitos, por sinal) têm sua importância garantida.



Totalmente narrado em terceira pessoa e com alguns dialetos próprios, a obra me conquistou irremediavelmente por ser uma fantasia cheia de ação e com varias raças compondo os personagens, como elfos, anões, dragões, magos e feiticeiros, demônios, insetos gigantes e claro, deuses.



Essa é a primeira obra que leio do autor e pude perceber que é incrivelmente detalhista, o que é um ponto muitíssimo positivo quando se trata de uma fantasia, pois nos faz sentir lado a lado com os personagens.



Baseado em um jogo de RPG (Dungeons & Dragons), traz toda a campanha do cenário de Ohmtar, que ganhou vida e forma nas palavras do autor. Não conheço a história do jogo - e nem o jogo propriamente dito -, porém isso não influenciou a minha leitura. Dá pra ler tranquilinho!



É um livro denso e requer um pouco mais de atenção, mas é super envolvente. Seus 45 capítulos (fora prelúdio e epílogo) e sua capa lindíssima levam a imaginação às alturas e deixa um gostinho de quero mais desesperador!



Recomendo bastante, mas cuidado... Um dia você pode estar entre os heróis!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



“- O Fim só acontecerá enquanto não houver um Recomeço. Enquanto o Mestre possuir a capacidade de reiniciar sua criação, ele o fará. Embora ele, mesmo sendo o Mestre, seja incapaz de fazer isso sozinho para sempre.”



“- Eu já te amei. Você sabia disso, não? – ele diz. Lágrimas peroladas rolam pelo seu rosto.
Ela respira fundo.
- Você nunca amou ninguém, elfo. Só a você mesmo.” 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

RESENHA: SOBREVIVENTES DO CAOS - BIANCA GULIM.



Hoje a resenha vai ser do livro da parceira Bianca! Aproveitem!









LIVRO: Sobreviventes do Caos (2323).
AUTOR (A): Bianca Gulim.
PÁGINAS: 183.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE: “Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.
Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada.
Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais cruéis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.
Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?
Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!”





O livro “Sobreviventes do Caos” conta a história de Celine, uma guerreira que enfrentou diversos problemas, mesmo em tão pouco tempo de vida. A jovem vive em um mundo muito além dos dias de hoje, no ano 2323, que servirá de palco para uma história surpreendente.



Celine vê sua vida mudar totalmente quando é inundada com novas paixões, traições, amizades e muito sofrimento quando perde pessoas muito importantes para ela em um ataque ao seu alojamento.



Após isso, ela se une com pessoas de objetivos iguais para tentar recuperar o seu povo. No entanto, essa guerra trará sensações inovadoras e uma surpresa não tão boa para a jovem Celine...



O inicio do livro, mais precisamente o capitulo Zero, me lembrou de outra trilogia distópica que amo: A Passagem (Justin Cronin). Contudo, a obra logo começou a ter as suas próprias características, fazendo com que eu me apaixonasse pela história.



Bianca, a autora, escreve lindamente e com palavras fáceis, tornando a leitura tanto jovial quanto um pouco mais adulta. Senti-me dentro do livro a cada página lida e, por conta disso, li o livro rapidamente.



É fato que podemos ver nitidamente os sentimentos que viajam pelo coração de Celine e são espalhados através de sua personalidade. Meio estourada ela, não é Bianca? Amei!



A história é toda narrada por ela, e somos surpreendidos com os acontecimentos a mesmo modo que ela. Dessa mesma forma, nos apaixonamos por Max, com ela.



Mesmo sendo um livro com tema de caos e bastante ação, o romance de Celine e Max se encaixou perfeita e intimamente no contexto. Não é de forma alguma um daqueles relacionamentos chatinhos que, às vezes, lemos por aí.



E tem o que falar da diagramação? Sim, a obra é toda divida em capítulos enumerados, mas o que ganha mesmo é essa capa magnifica!



Sem me alongar mais, posso dizer com certeza que foi uma leitura incrivelmente surpreendente. Ainda Mais com um final desse... Deixou-me de queixo caído e olhando para as palavras finais por um longo tempo! Já quero a continuação!!!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



"Acho que só conhecemos uma pessoa de verdade quando passamos por momentos de sobrevivência ao lado dela.”



“O tempo passa rápido quando paramos para pensar na vida.”

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

RESENHA: A MENINA SUBMERSA - CAITLÍN R. KIERNAN.



Hoje a resenha vai vir do fundo da mente, aproveitem!





LIVRO: A Menina Submersa.
AUTOR (A): Caitlín R. Kiernan. 
PÁGINAS: 317.
EDITORA: DarkSide Books.
SINOPSE: “A Menina Submersa é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por licantropos e sereias. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de beleza e horror, camadas, mitos e mistério em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do "real" sobre o "verdadeiro" e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma obra-prima do terror da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards (2013). A autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e H. P. Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial - na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa -, e sabem que o medo real nos habita. O romance evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.”




“A Menina Submersa” conta a história de India Morgan Phelpes, Imp, que resolveu escrever uma história de fantasmas. A jovem, que é esquizofrênica, tem mãe e avó loucas e conta sua história verdadeira, porém não totalmente factual.



Nessa história temos sereias, lobos, paixões, suspense e um amor misterioso: Eva Canning. Eva confunde todos os pensamentos e a vida de Imp, chegando até ela de várias formas mirabolantes e indo embora desse mesmo jeito. Contudo, não temos como ter certeza de todos esses fatos, afinal nem mesmo Imp tem.



Tenho que confessar que talvez essa seja a resenha mais difícil que fiz até agora. A leitura do livro meche conosco de uma forma ilógica, nos mostrando os sentimentos, conflitos, obsessões e transtornos de uma mente esquizofrênica.



Concordo com Neil Gaiman quando diz que “poucos escrevem como Caitilín”, pois o livro tem uma leveza em suas palavras formais, detalhes imprescindíveis e uma narrativa que é de outro nível e merece atenção total.



A personagem principal, Imp, nos arrebata com sua personalidade divertida com pitadas de terror logo nas primeiras páginas. Apesar de em alguns momentos a leitura ser um pouco cansativa, conseguimos lugar para cada lugar mencionado, sentir cada cheiro... Principalmente o cheio do rio Blackstone.



Entendo que muitas pessoas não gostem do livro por ter certo nível de complexidade, mas para mim foi uma leitura gostosa, envolvente e bastante ‘informativa’.



A obra é cheia de referências a autores, lendas, mitos, músicas, lugares, etc. Ganhador do prêmio Bram Stoker, se tornou um de meus livros preferidos. Não conhecia a autora, e acho isso contribuiu para ter uma experiência surpreendente ao entrar na mente de Imp.



Recomendo bastante, mas tome cuidado, pois se trata de um livro com bases muito detalhistas e profundas. Não vá se perder nas profundezas da mente de Imp, na de Caítlin ou até mesmo... Na sua!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



“- Por que você está anotando essas coisas?

- Você poderia querer se lembrar, um dia.”



“Fantasmas são essas lembranças fortes demais para serem esquecidas, ecoando ao longo dos anos e se recusando a serem apagadas pelo tempo.”



“A normalidade é um comprimido amargo do qual reclamamos.”



“O que mais tememos não é o conhecido. O conhecido, por mais horrível ou prejudicial à existência, é algo que
podemos compreender.”


“Algumas vezes, pedir desculpas não ajuda em nada.”



“As coisas que acontecem a você te fazem ser quem você é, para o bem ou para o mal.”



“O desconhecido é apavorante, mas a certeza me amaldiçoa.”


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

RESENHA: HIDDEN LOVE - PAULA M.C. BASÍLIO.




Hoje o Tea And Books está só amor com essa resenha! Espero que gostem!





LIVRO: Hidden Love.
AUTOR (A): Paula M.C. Basílio
PÁGINAS: 278.
EDITORA: Anjo.
SINOPSE:
“Mary Hudson é uma recém-formada na Faculdade de Jornalismo de Massachusetts, é uma jovem apaixonada pelo o que faz, e sonha em falar alemão. Ao começar a estudar os idiomas de alemão, francês e espanhol recebe uma surpresa, trabalhos, atividades sem fim e algumas confusões, mas descobre que a paixão que ela pode sentir pelo trabalho que conseguira como estagiária — muito breve tornando-se efetiva—, e por seus estudos não são as únicas na sua vida.
Após alguns meses de aula começa a receber cartas de um suposto admirador secreto bastante apaixonado, que de início, lhe faz pensar em uma brincadeira mal feita. Seu coração começa a querer descobrir quem é o pretendente, e enquanto isso, desastres começam a surgir.




O livro “Hidden Love” conta a historia de Mary, que após uma grande oportunidade, vai estudar francês e alemão em uma universidade respeitada da Alemanha.



Após alguns meses de aula, ela começa a receber cartas de um admirador secreto e logo tenta, a todo custo, descobrir quem. O medo de quem possa ser turva a visão de Mary em alguns momentos e ela pensa em desistir dessa busca mirabolante.



Amizades e paixões vêm e vão e ela decide se jogar de cabeça em sua vontade de encontrar o homem das cartas, por quem ela se apaixonou. O que ela não faz ideia, é que pode chegar a um amor um tanto... Proibido.



Estava bastante ansiosa para iniciar a leitura, e quando comecei tive a impressão que seria uma leitura muitíssimo agradável. Estava certíssima! As palavras de Paula, a autora, são um tanto formais (gosto disso) e bem fáceis, o que torna a leitura leve e constante.



A trama que se passa é bem cotidiana, porém a autora conseguiu construir uma historia bela, espontânea e surpreendente. Uma das coisas que mais ficam evidentes é a força que um amor ou amizade tem na vida de uma pessoa.



Os personagens são bens construídos e tem suas próprias evoluções de personalidade no decorrer da trama. Principalmente Mary, a personagem principal, que tem uma incrível personalidade.



A diagramação da obra é toda linda, divido em capítulos numerados e nomeados e uma capa bem chamativa! A única coisa que e incomodou um pouco, foram alguns errinhos gramaticais encontrado no início do livro.



Recomendo bastante. É um livro bem emocionante. Afinal, não é sempre que temos um amor oculto, não é?!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



“Eu estou sendo má, agir como se nada tivesse acontecido em momentos de nossa vida, é um dos piores caminhos de sair do problema, porém, quando se está presa, as coisas precisam ser pensadas.”



“- As coisas improváveis acontecem na nossa vida quando a gente menos espera, sabe?”



“A pessoa que não tem amigos, com certeza não tem ninguém.”



“- Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo.”

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

RESENHA: CONTOS DE TERROR PARA LER ANTES DE DORMIR - JHEY LEE.



Ultimamente o Tea And Books anda bem dark, não é? Hoje trouxe resenha de mais um livro de horror. Aproveitem!







LIVRO: Contos de Terror Para Ler Antes De Dormir.
AUTOR (A): Jhey Lee.
PÁGINAS: 80.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE: “Você realmente sabe o que tem EMBAIXO da sua cama?

O JOGO do copo pode ser um jogo muito perigoso... Quer arriscar?

Não importa o que você faça, NUNCA é escondido o bastante.

O que há na ESCURIDÃO?

A CURIOSIDADE é algo muito perigoso, então, CUIDADO! Você pode não gostar do que vai encontrar.

O mistério do desconhecido pode se transformar em um PESADELO.

Cuidado com o que e com quem fala, um passo em falso e você pode ser VÍTIMA de uma terrível MALDIÇÃO.

Todos nós temos desejos, mas até os desejos podem ser muito CRUÉIS conosco, portanto, pense bem antes de desejar alguma coisa.

E você, já OLHOU EMBAIXO da CAMA hoje?”


O livro “Contos de Terror Para Ler Antes de Dormir” é uma coletânea de contos e mini contos do gênero terror. Com histórias individuais e surpreendentes, todos os contos são muito instigantes.



Já conhecia a escrita da autora por já ter lido seu primeiro livro, Feridos (resenha aqui), e novamente a amei por ser bem fácil e fluída. Jhey (a autora) tem grande facilidade em prender a atenção do leitor com suas palavras.



A obra é bem curtinha, porém traz não somente aquela sensação de friozinho na barriga já conhecida do horror, mas também muitas reflexões sobre as nossas atitudes. Escondidas nas entrelinhas, sim, mas sempre estão ali.



Com leitura rápida, possui sete contos divididos em capítulos – fora o extra e o especial -. Todos os contos me agradaram, mas dois me chamaram mais atenção: Vingança (o segundo) e Invocação Maldita (o quinto).



Ambos os contos, falam de coisas que muitas vezes acontecem no nosso cotidiano: um estupro seguido por um suicídio e uma jura eterna de vingança, e uma brincadeira entre amigos que acaba dando muito, muito errada. Afinal, nunca sabemos qual será a resposta quando falamos com o além, certo?



Sem mais postergação, posso dizer que gostei bastante de tudo no livro, desde os contos, a diagramação e as palavras finais. Pois sim, ao lerem até o final, receberão uma “recompensa” bem agradável! Recomendo!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



“Medo dos vivos? Não tenho nenhum! O que me assusta é o que existe no além... Aquilo que nem todos são capazes de ver... E que poucos acreditam quando ouvem falar...”



“Se você procura coisas no lugar errado, você encontra o errado, o maligno.”

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

RESENHA: ELES PRECISAM MORRER - MONICA DOMBROSKI.



Ei cupcakes! Como vocês estão? Hoje trouxe uma resenha.... assustadora! Espero que gostem!






LIVRO: Eles Precisam Morrer.

AUTOR (A): Monica Dombroski.

PÁGINAS: 298.

EDITORA: Chiado.

SINOPSE:
“Alicia, Clara e Amanda são três adolescentes que vivem em uma pequena cidade do interior e compartilham uma vida de tédio e poucas perspectivas de futuro.
Elas acreditam que os responsáveis pela vida ruim que levam são as pessoas com quem convivem e, aos poucos, a ideia de eliminar algumas pessoas vai amadurecendo até desencadear uma série de mortes e revelações, trazendo um esclarecimento sobre quem realmente é o responsável pela vida de cada uma.”




O livro “Eles Precisam Morrer” conta a história de três, talvez, amigas que estão completamente infelizes com as vidas que levam. Alicia: se vê enclausurada na pequena cidade onde mora e sua vida se torna pior quando descobre que seu namorado, na verdade, é gay e sua madrasta está grávida. Clara: sobre de depressão por ter um peso elevado e muitos problemas adolescentes, é ainda aguenta ser perseguida por Vinicius, um garotinho de 10 anos, por conta deles. Já Amanda, sofre como uma escrava de sua avó desde que sua mãe a abandonou.


Em boa parte do livro, as garotas se cansam de todos ao redor, e resolvem que os culpados por serem tão infelizes devem pagar, nem que seja com a vida. A partir desse ponto, várias coisas horríveis começam a acontecer na cidade, mas será que elas são culpadas de todas elas?


Quando iniciei a leitura, achei um pouco parada, mesmo com a escrita fácil e o gênero ser dos que mais me agrada: suspense/terror. Alguns capítulos depois, o livro se tornou mais fluido e com um desenrolar de fatos, mais envolventes.


Acho que a intenção de Monica, a autora, era mostrar os sentimentos de liberdade das meninas depois de tudo que fizeram, mesmo que tenha tido esse final (não falarei mais a respeito dele para não dar spoilers). Penso que ela conseguiu isso muito bem em alguns casos (personagens) e em outros não.


Admito que tive uma relação de amor e ódio com as personagens principais e ainda não consigo me decidi se gostei delas o bastante. Claro, todos os personagens da trama têm uma ótima construção e traços fortes somente seus, contudo algo ali no intimo deles ficou extremamente escondido para mim.


Dividido em seis partes, digamos que é um livro bem frio e calculista, algumas cenas chegam a ser brutais (dica para quem tem um estômago fraco!). Creio que a obra retrata bem o que uma pessoa é capaz de fazer quando chega ao seu limite, mesmo que ainda seja nova, com as adolescentes do livro.


Assustador. Está aí uma palavra que define bem todas as páginas. Assim como elas –as páginas- e a diagramação (capa/interior), as palavras são assustadoramente provocantes.


De modo geral, eu gostei do livro, gostaria de ler mais obras da autora. Salvo essas coisinhas com os personagens, foi instigante para. Do tipo de leitura que arranca sentimentos a cada página virada. Se indico? É, indico sim. Para os fãs do horror eu digo: vá enfrente!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“- Morrer de deve ser muito doloroso. [...] Mas viver também é.”

“[...] Esse é um dos maiores problemas da vida, não poder viver completamente sozinho.”

“O ódio pode fazer a pessoa acordar um lado dela que ela nem sequer acreditava existir, pode fazer uma pessoa ser ela mesma, porque o ódio mata o medo.”

“[...] Às vezes é preciso cair para conseguir ficar de pé.”

“[...] Às vezes, a solidão é algo necessário.”

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

RESENHA: O PEQUENO PRÍNCIPE - ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY.



Oooi pessoal! Hoje vai ter resenha de um livro indispensável na sua vida de leitor. Espero que fiquem cativados! 





LIVRO: O Pequeno Príncipe.

AUTOR (A): Antoine de Saint-Exupéry.

PÁGINAS: 91.

EDITORA: Vozes.

SINOPSE: “O Pequeno Príncipe é um dos personagens mais famosos e queridos de todos os tempos, que empolga crianças e adultos com ensinamentos inesquecíveis. Sua história deixa marcas pela forma simples de suas mensagens de otimismo, simplicidade e amor ao nosso planeta. À primeira vista, um livro para crianças. Na definição de Antoine Saint-Exupéry, seu autor, "um livro urgentíssimo para adultos" que resgata a criança que existe em cada um de nós, com encanto, ética e beleza.”




Estou completamente apaixonada!



“O Pequeno Príncipe” conta a história de um piloto, que após um acidente no deserto, encontra uma criança loura vagando longe de todos. O piloto fica intrigado com a criança e ambos começam a conversar depois que a criança lhe pede para desenhar uma ovelha.



Mais tarde, o piloto descobre que o garotinho nada mais é do que o príncipe de um minúsculo planeta que está viajando, pois está aborrecido com sua rosa, e depois passar em muitos planetas, acabou na Terra.



Ingenuamente, uma grande e forte amizade nasce entre piloto e príncipe. Porém, mesmo que se deixem cativar, uma hora ou outra, terão dizer adeus... Como isso será possível?



A obra, traduzida em várias línguas, encanta o leitor de forma inimaginável. “O Pequeno Príncipe” já se tornou obrigatório na estante de qualquer leitor, afinal “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas” e o livro me cativou. Com certeza!



Antoine (autor) conta seu encontro com o Príncipe pequenino muito fluidamente, tornando a leitura muito gostosa, seja para uma criança ou uma ‘pessoa grande’.



Trazendo toda a inocência dos pensamentos de uma criança, o livro nos ensina a nos conhecer e conhecer o próximo com singeleza, expressando todo e qualquer sentimento, que para mim antes de ler pela primeira vez – aos dez anos -, eram completamente indescritíveis.



Cada palavra lida, era um aprendizado a mais na minha vida que, agora com a segunda leitura, foram reafirmados. Atencioso, reflexivo, emocionante... Atrevo-me a dizer que é um dos melhores livros, mundialmente falando.



A edição da Vozes é incrível! Pequena, versátil e com as próprias aquarelas do autor, traz muito conforto ao leitor.



E por falar nas aquarelas (que nada mais são que ilustrações), não consigo acreditar que existam pessoas que pensem que esse livro é puramente infantil só por conta delas. Se você pensa assim, dispa-se de seus pré-conceitos e leia.

Se realmente não conseguir ver a magia, não conseguir entender a mensagem linda que ele traz, será uma pena. Nesse caso, se considere uma pessoa grande, pois “pessoas grandes só entendem de números’.



Um livro de leitura sensível e cheia de significados... Mas, chega de procrastinação! O que tenho a dizer é que amo muito e indico mais ainda!



Deixo abaixo, para vocês a minha seleção de trechos:



“- Só conheço uma liberdade, e essa é a liberdade do pensamento.”



“- Os seres humanos não podem dar o melhor de si, como seu amor e sua força criativa, se não estiverem livres.”



“Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.”



“Todas as pessoas grandes foram um dia crianças – mas poucas se lembram disso.”



“Quando a gente anda sempre em frente, não pode ir muito longe.”



“A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar.”



sábado, 11 de fevereiro de 2017

RESENHA: A TEIA DOS SONHOS - KARINE ARAGÃO.



Ooi pessoal! Hoje tem resenha de um livro incrível que todos deveriam ler. Espero que gostem!






LIVRO: A Teia dos Sonhos.

AUTOR (A): Karine Aragão.

PÁGINAS: 158.

EDITORA: Muiraquitã.

SINOPSE: “Com uma narrativa envolvente, A Teia dos Sonhos apresenta aos jovens leitores a beleza e o poder da amizade, a dor de uma perda, o caminho da superação e, no meio do caos, o amor. Uma história sobre a difícil tarefa de crescer e aprender a perdoar aquilo que jamais será esquecido. Nessa jornada do amadurecimento, A Teia dos Sonhos nos mostra que para ser feliz é preciso estar vivo.”



“A Teia Dos Sonhos” conta a história de duas adolescentes super amigas, Júlia e Laura. As garotas tem uma vida são inseparáveis, e ao completar cinco anos de amizade, decidem fazer uma tatuagem desenhada pela própria Júlia.



Contudo, Júlia percebe que a amizade das duas que chegava até a compartilhar o amor pelo mesmo rapaz, Bernardo, talvez não fosse tão forte quanto ela imaginava. Um dia depois da tatuagem das amigas, Laura se joga da janela de seu prédio.



Enfrentando toda a dor de perder a amiga dessa forma, a relação difícil com sua mãe, a paixão por Bernardo que só crescia, Júlia tenta descobrir o motivo de suicídio de Laura. Mas, será mesmo que foi um suicídio? E se sim, qual o motivo?



Confesso que iniciei a leitura pensando nela apenas como uma distração leve, uma “pausa” nas leituras mais densas que estava fazendo. Afinal, um romance leve sempre é bom para desanuviar a cabeça, não é?



Acontece que eu estava errada. Não de todo, pois foi um romance muito bom, porém aborda um assunto bem delicado e, infelizmente, cada vez mais constante: suicídio.



A leitura foi rápida, fluida e surpreendente. Karine (a autora) conseguir trazer esse tema em meio a uma ficção jovem, porém cotidiana. Cotidiana sim, pois o livro todo poderia acontecer a qualquer um.



Os personagens conseguem ser bem parecidos com os jovens reais, público alvo do livro, contornando os momentos difíceis cada um a sua forma, trazendo assim varias “soluções” que podem ser usadas na vida real.



Tenho que admitir que imaginei um final diferente enquanto lia, mas o que está presente na obra não deixou a desejar. Foi uma grande evolução, uma aceitação sobre si mesma da personagem. E eu gostei dessa aceitação!



Mesmo se tratando de temas complicados, como o suicídio e os problemas que a mente adolescente faz crescer, o livro traz um envolvente romance contornando toda essa dor.



A diagramação do escrito me agradou bastante. A letra que compõe a história não é a que estou habituada, mas gostei desse estilo. E essa capa? Linda e chamativa, não é? Um máximo!



Eu gostei bastante do livro todo, e indico muito!



Antes de finalizar, gostaria de fazer um pedido para quem está lendo: se você está com problemas sérios, problemas que te angustiem a ponto de você querer acabar com toda a dor, mesmo que para isso tenha que acabar com sua vida, procure ajuda, leia um livro ou simplesmente coma um doce. Não deixe que a sua “caixinha de problemas” chegue ao topo. Posso não conhecer você, mas tenho certeza que a vida te reserva boas coisas. Apenas... Se dê uma chance, e se ela não for suficiente, se dê várias!



Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:



“[...] Se pudesse chorar, talvez fosse mais fácil, mas as lágrimas estão presas em algum baú dos olhos.”



“[...] Decerta maneira, acredito que a vida é um ciclo por diversos motivos.”



“O sono pode enganar a tristeza, mas não acabar com ela. Toda farsa chega ao fim.”

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

RESENHA: QUEBRA (NOVA ERA) - VITÓRIA VALE LUSSARI.




Hello, cupcakes! Como vocês estão? Hoje trouxe resenha de uma fantasia maravilhosa. Aproveitem!






LIVRO: Quebra (Nova Era).
AUTOR (A): Vitória Vale Lussari.
PÁGINAS: 443.
EDITORA: Produção Independente (Disponível no Wattpad).
SINOPSE: “Trechos do diário de Sabrina Cameron...
‘[...] Por muito tempo imaginei que aquele dia em que tivemos que fugir foi inevitável. Hoje, eu vejo que muitas coisas não precisavam ter acontecido. [...] Aquelas pessoas não precisavam ter morrido.
[...] Este mundo é cheio de mistérios, poréns e porquês. Embora eu não entenda metade deles, sei o suficiente para entender que muitos se aplicam a nós. Nós irmãs, Amanda e eu.
[...] Este mundo é um mistério para si mesmo.’
Para as duas irmãs suas vidas estavam traçadas em uma linha reta e simples, viviam tranquilamente com sua mãe adotiva numa pequena fazenda em Asven. Até tudo mudar tão de repente que elas não tiveram escolha senão assumir o controle de pelo menos uma parte do que conheciam.
Descobrindo não apenas possuírem poderes mágicos, mas também serem realezas de um mundo alternativo e retrocesso de outra dimensão, Amanda, a mais velha e herdeira do trono, e Sabrina, a mais nova, precisam focar-se em não perder a sanidade, quando o mundo delas vira de cabeça para baixo continuamente ameaçado pela ambição doentia por parte da bruxa Ushôrya.
Em meio à traições e jogos políticos, elas são obrigadas a crescer e lutar para manterem-se vivas. Uma em um castelo sombrio, a outra em uma corrida contra o tempo. Acompanhadas pelo treinado Príncipe Agaria, as jovens se tornam parte de uma aventura em busca da derrota da malévola bruxa combatendo ameaças, venílias e a dureza de uma perda acompanhada da necessidade de confiarem uns nos outros e em suas próprias essências.
Entre jogos de guerra e batalhas psicológicas o livro discorre-se em um conto de fadas que nada tem de maravilhoso.”



“Quebra” conta a história de duas princesas que tiveram seu reino “roubado” delas. Após um ataque de uma bruxa muito poderosa (Ushôrya) ao reino de Pluarys, e a morte de seu marido, Amélia resolveu usar o que restava de sua magia para mandar Amanda e Sabrina, as únicas herdeiras do trono, para outra dimensão.


Ainda crianças muito jovens, as princesas foram levadas à Asven, uma terra sem magia, e foram encontradas por uma mulher que as adotou. Mais tarde, ainda adolescentes, Sabrina conjura um feitiço por acidente, e elas são descobertas e levadas novamente a Pluarys.


À volta para casa, no entanto, guarda muitos mistérios. Em meio à dor, traição, laços de amor e amizade, as princesas irmãs terão que tomar decisões difíceis. Contudo, não poderão pensar somente e si mesmas e em seu passado, ambas terão um povo a governar...


Comecei a ler o livro com bastante expectativa e fiquei feliz ao notar que ele estava atendendo a elas. Em muitos momentos me vi completamente extasiada e imersa no contexto, como se também fosse um personagem.


Vitória (a autora) tem uma escrita super leve e fluida, porém detalhista. Os inúmeros detalhes fazem a diferença aqui, pois ao se tratar de uma fantasia, eles levam o leitor longe, levam a imagina a cena descrita tim tim por tim tim.

Os personagens também foram se formando com muitos detalhes, e pude perceber a evolução de cada um, cada personalidade se solidificando enquanto a história ia se passando.


A minha leitura foi invadida por momentos de grande emoção, risos e tristeza. Sentimentos antônimos ou não, contribuíram para que eu tivesse uma leitura prazerosa, quase uma conversação diretamente com a mente da escritora.


Confesso que o gênero é um dos meus preferidos, a magia com seus feitiços mirabolantes, outros mundos... Enfim, tudo isso me fascina e depois de ter sido inundada com o gênero por grandes escritores, como J.K Rowling e George R.R. Martin, fico feliz de encontrar tão boa qualidade em uma escritora bem mais pertinho de mim.
A diagramação da obra é bem boa, dividido em capítulos e com uma capa lindíssima, é de chamar a atenção de qualquer um.


Com o final da leitura, me veio aquele característico gostinho de quero mais, então em breve teremos resenha de Ampulheta, segundo livro da série. Super recomendo!


Deixo Abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“Pensou que estava apagando, mas percebeu que chorava. Chorou o que segurara enquanto consolava o amigo, e sentiu que todo o seu corpo chorava com ela.”


“– O dia da minha rendição, será o dia da sua morte.”

“– A vida, Agaria, é o dom mais belo. É o que devemos mais valorizar.”

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

RESENHA:RASCUNHANDO SOBRE A VIDA - GASTON LEONARDO STEFANI.




Olá pessoal! Tudo bom com vocês? Hoje a resenha é para aqueles que gostam de coletâneas! Espero que gostem!




LIVRO: Rascunhando Sobre a Vida.
AUTOR (A): Gaston Leonardo Stefani.
PÁGINAS: 94.
EDITORA: Futurama.
SINOPSE: Não encontrada.


A obra “Rascunhando Sobre A Vida” pode ser considerada bem eclética. Nela encontramos contos, mini contos, crônicas e poemas que variam entre: amor, sexo, terror, esperança, assuntos polêmicos, inveja, nazismo, preconceitos e muitos outros.

Separadas por temas, as noventa e quatro páginas do livro são bem descontraídas. Daquele tipo de leitura que vem e vai fácil, com escrita fluida e palavras inteligentes.

Quando conheci o livro, não imaginava que fosse ter tão pequenininho. Contudo, isso não influenciou na grande bagagem que ele traz. Sentimento, emoção, reflexão... Tudo isso chega ao decorrer da leitura, a deixando mais gostosa.

Dentre os temas dispostos no livro, o que mais me agradou foi “Sombras”, pois se trata de um lado com mais suspense, mais terror e quem me conhece sabe que eu gosto bastante disso!

Fora a disposição de temas mencionados, a diagramação conta com uma capa lindíssima e teria uma nota dez, não fosse por alguns errinhos de digitação.

Iniciado e finalizado com frases do grande Charles Chaplin, é um livro muito bom. 

Super indico!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“Nos confins da tua mente,
será que eu estou presente?” - Abismo.

“A destruição não viria dos céus, mas dos homens. O homem concretizara seu legado de morte, pondo fim a própria raça.” – Depois da explosão.

sábado, 4 de fevereiro de 2017

RESENHA: AS FLECHAS DE TARIAN - CAMILA M. GUERRA.




Hey pessoal! Olha resenha de outro livro da parceira Camila ai! Espero que gostem!





LIVRO: As Flechas de Tarian.
AUTOR (A): Camila M. Guerra.
PÁGINAS: 404.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE:Hugo não tem ideia do quanto à vida comum que leva com a esposa está prestes a mudar. Depois de um trágico acidente e enquanto aguarda seu corpo recuperar-se do trauma, ele é resgatado e levado para a colônia de Tarian, um lugar totalmente diferente de tudo o que ele já viu. Lá ele conhece Anne, uma nova personagem em sua vida.
Enquanto se recupera do acidente, Hugo descobre que era esperado havia muito tempo para desempenhar um papel importante na libertação da colônia, onde muitas almas se abrigam, impedidas de prosseguir em sua evolução natural, por um grupo de dominadores que se auto intitulam deuses.
Acompanhado de Anne e das Flechas de Tarian, ele embarca em uma aventura extraordinária, que o leva por caminhos inesperados, fazendo-o descobrir sua verdadeira identidade, sua história e seu destino.”

“Amar é abrir-se e não estreitar-se. Amar é permitir-se e não punir-se. Aqueles que amam alargam seu horizonte, abraçam seu potencial de realização. Crescem.”

“As Flechas De Tarian” nos traz a história de alguém muito especial. Hugo vê a sua vida mudar completamente quando, por conta de um acidente veicular, entra em coma. Nesse estado, ele é resgatado por Anne e mergulha em uma sociedade quase distópica. Hugo conhece a colônia Tarian.

Ao chegar a Tarian, ele descobre que era esperado há muito tempo. Sua alma, seu espirito tem um pacto com os seres viventes daquela colônia, porém ele não acredita e pensa tratar-se de um sonho.

Anne, uma das fechas mais certeiras e importantes de Tarian, consegue mudar o pensamento do rapaz, ao mesmo tempo em que ambos começam a nutrir sentimentos misteriosos um pelo outro.

Em meio a descobertas, amor e amizade, um mal habita o tempo e fará de tudo para acabar de vez com os ciclos de vida de Hugo. Contudo, será que o guerreiro que existe nele permitirá?

Camila (a autora) mais uma vez me arrebatou com uma de suas obras. Primeiro livro de uma trilogia, “As Flechas de Tarian” me induziu a imaginar um mundo totalmente novo e com um ‘quê’ de mágico.

A obra é perfeitamente completa, trazendo personagens riquíssimos em detalhes, o que os torna quase reais, os torna companheiros de uma longa jornada do leitor.

Esses mesmo personagens e toda a trama central da história nos passam mensagens das mais variadas. A que mais me chamou a atenção foi o fato de o corpo humano, físico, denso ser considerado uma prisão. Não sei se foi a intenção da autora, mas isso só reafirmou para mim que nós não devemos nos limitar, que o corpo que nos mantém aqui é só mais um, mas o nosso espirito sempre prevalecerá.

Genialmente arrebatadoras, as palavras tocam fundo e trazem a busca pela liberdade. Trazem a vontade imensurável de se libertar das amarras em que a nossa mente nos envolve.

A diagramação é impecável. Capítulos numerados e nomeados de uma forma que não me deixavam desgrudar da leitura. A capa é maravilhosa e traz nela símbolos importantes para a colônia tariana.

Mesmo sendo só o primeiro livro, é reflexivo, surpreendente, tenso em alguns momentos, mas, além disso, é uma ficção adorável e que vai fazer você buscar Tarian em seus sonhos.

Ao final, posso dizer com todas as letras que sou uma tariana com orgulho. Livre? Somente depois de chegar à última linha do final cativante dessa trilogia.

Recomendo muito. Mas prepare-se, vai ficar com gostinho de quero mais!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“A felicidade dela deu-lhe uma força enorme e, pela primeira vez até aquele momento, estava completamente feliz com a oportunidade de viver aquela experiência.”

“Se você não sentir, não vai acreditar. A informação não substitui a experiência!”

“Os corações firmes não perdoam ofensas, pois elas não lhes atingem.”

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

RESENHA: A ÚLTIMA CHAVE - CAMILA M. GUERRA.



Olá pessoal! Por conta de esquecimento, a resenha desse maravilhoso livro que era para ser postada ontem, está sendo postada hoje. 🙈 Espero que gostem.. Ah, cuidado com seus sonhos...!




LIVRO: A Última Chave.
AUTOR (A): Camila M. Guerra.
PÁGINAS: 205.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE: Sofia mantém sua vida nas rédeas e está muito feliz sozinha. Até o dia em que encontra um livro intrigante que muda completamente a sua vida, envolvendo-a em uma série de sonhos estranhos.
Sem querer, ela passa a viver experiências muito intensas fora do corpo. Essas experiências trazem para sua vida um tufão, que bagunça seu autocontrole e, de quebra, traz-lhe uma indesejada e arrebatadora paixão e uma batalha incansável contra um inimigo feroz.
Sonho ou realidade?
A realidade nos sonhos pode ser implacável e verdadeira…”

“Um sonho que sonhamos sozinhos, é só um sonho. Um sonho que sonhamos acompanhados, é real” [John Lennon]

O livro “A Última Chave” conta a história de Sofia, uma jovem amante da leitura que vê sua vida mudar após conhecer, na casa de um colega, um livro esquisito que fala de sonhos e campo astral. Extremamente fascinada, ela compra o livro e logo começa a lê-lo. Ela não esperava que um simples livro fosse lhe trazer respostas tão avassaladoras.

Desde criança, a jovem tem sonhos misteriosos e após começar a ler esse livro, eles passaram de misteriosos para assustadores. Mesmo assim, o assunto ainda a intrigava e clamava por ela, sendo assim, ao passar por uma banca de jornal, é convidada a fazer um curso com o mesmo assunto.

No curso, ela conhece Marcus. A partir do momento em seus olhos doces se cruzaram com os olhos negros e hipnotizantes dele, a vida de Sofia mudou completamente. Sonhos, experiências fora do corpo, paixão e resgate fazem parte da vida dela agora. Contudo, será essa mudança foi uma coisa boa?

Quando comecei a ler o livro era tarde da noite e quando dei por mim, já tinha caminhado pela madrugada. A escrita, o vocabulário e o dialogo são fluidos, você lê e nem percebe o tempo passando a sua volta. É quase como se ao ler a primeira frase, o leitor se teletransportasse para dentro da história e transformasse em um mero espectador escondido entre os personagens.

Com uma temática detalhista e extremamente interessante, a obra me roubou da vida real. Já tinha ouvido falar sobre essa ‘coisa’ de campo astral e sonhos lúcidos, porém nunca tinha ido a fundo e os personagens me ensinaram bastante.

A trama é praticamente toda narrada pelos personagens principais, Sofia e Marcus. Porém alguns personagens secundários também tem sua vez no desenrolar dos fatos.

Apesar de ser uma obra fictícia não deixa de ser plausível. Acredito que exista grupo um grupo de estudo como o que conhecemos em “A Última Chave” por ai. E eu confesso que adoraria conhecê-los.

Quanto à diagramação do livro, não tenho do que reclamar. Apesar de ser um e-book, tem divisão de capítulos (numerados e nomeados) correta, além de que somos presenteados com pequenos e delicados desenhos de chaves (achei um charme!). E a capa, bom, só tenro uma coisa a dizer sobre: é lindíssima!

Camila (a autora) fez um ótimo trabalho. Amei e super indico o livro!

Aliás, quero continuação, afinal “não existe morte!”...

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“Os sonhos parecem um pedaço de fantasia.”

“O medo é inevitável, mas ceder ou não a ele é sempre uma escolha.”

“A culpa é, sempre, sempre, má. Não existe culpa boa, culpa útil, culpa necessária. Só existe culpa. E ela nunca é amiga.”


“Quando alguém pisa na gente uma vez, a culpa é dele. Mas quando pisa uma segunda vez, a culpa é nossa.”