segunda-feira, 27 de março de 2017

RESENHA: ADELPHOS (A REVELAÇÃO) - M. PATTAL.



Bora para mais uma resenha, cupcakes? Bora sim! Dessa vez vai ser do fantástico Adelphos!





LIVRO: Adelphos (A Revelação).
AUTOR: M. Pattal.
PÁGINAS: 370.
EDITORA: Pen Dragon.
SINOPSE: “Enzo, Mila e Dan são três adolescentes com deficiência que acreditam ser possível competir em iguais condições com os demais atletas olímpicos. Enzo é surdo e treina na modalidade tiro com arco. Mila tem glaucoma de nascença e treina na ginástica artística, enquanto Dan usa uma prótese na perna esquerda para treinar no atletismo.
De uma forma inesperada, após o contato com uma luz misteriosa, eles são transportados para um mundo fantástico chamado Oykos, parcialmente dominado pelo Dragão Ponéros.
Enquanto tentam encontrar as respostas e o caminho de volta para casa, eles precisarão enfrentar os perigos que surgem durante a jornada. Seres das trevas, chamados Éktros tentarão impedi-los de chegarem ao único local capaz de fornecer as respostas que precisam: a Terra de Adelphia.
Em Oykos os preparativos para os Jogos da Liberdade estão a todo vapor. Apesar do nome positivo, os Jogos são mortais e o seu resultado pode alterar o destino de todos os habitantes daquele mundo. Enquanto isso, os rumores de que um evento chamado “A Revelação” estaria prestes a acontecer e acabar com o domínio do dragão, tornam o cotidiano dos Oykanos tenso, gerando grande instabilidade entre as Terras. 
Adelphos é uma saga de tirar o fôlego, repleta de aventuras, surpresas, reviravoltas e mistérios que prendem o leitor da primeira à última página, ao mesmo tempo em que o leva a refletir sobre dilemas e conflitos do mundo real.”

 “Adelphos” começa com a história muito parecida de três jovens: Enzo, Mila e Dan. Enzo é um adolescente surdo, Dan perdeu sua perna em um acidente e Mila tem um problema de visão e todos sonham em entrar para as paraolimpíadas. Entretanto, mesmo com essas dificuldades, os três são escolhidos para um bem maior e através de uma bola de luz que surge nas águas, adentram em Oykos.

Oykos é um mundo totalmente diferente dos que os jovens conhecem. Nesse mundo existem reinos diversos, anões, gigantes, dragões, magia, seres das trevas mortos-vivos, deuses e muitas batalhas.

Enquanto tentam descobrir onde estão e como retornar as suas vidas, os três jovens (que no início não se conheciam) têm em seu caminho muitos obstáculos e revelações. No entanto, qual será o real motivo de terem sido convocados para aquelas terras? Será que Pneuma, o deus maior e benevolente tem algo haver com isso, ou será Ponéros, o dragão tenebroso que os quer por perto?

Ao iniciar a leitura, me deparei com dois mundos que são ao mesmo tempo iguais e completamente diferentes: o nosso e Oykos. Diferentes por Oykos ter seres fantásticos, enquanto em nosso mundo temos apenas animais e nós, humanos. Mas, iguais sim, por serem ambos lavados por revoluções e possuírem conflitos nas mentes dos habitantes que carecem de certos cuidados.

Nesse clima fantasiosamente real, Pattal nos revela (em uma escrita maravilhosa) um novo mundo e personagens incrivelmente próximos ao nosso coração e mente, até mesmo os mais malvadinhos.

Mesmo se tratando de uma ficção, o autor conseguiu trazer ensinamentos e reflexões perfeitos para todos, mas em especial para aqueles que sofrem com problemas familiares, deficiências, preconceito e aqueles que se encontram em uma posição de ‘baixa autoestima. Não se engane, você pode superar tudo se o seu coração assim desejar!

Extremamente bem construído e rico em detalhes, o livro me surpreendeu de uma forma adorável. Contudo, para alguns leitores certas coisinhas podem ser complexas, tais como o grande número de personagens, terras, criaturas e os nomes ‘estranhos’, por isso é necessário uma grande atenção na leitura. Coisa que não empecilho algum!

A obra possui 66 capítulos curtinhos (fora prólogo e epílogo), uma linda capa, mapas que ajudam a entender a disposição das terras de Oykos e pequenas Pistis (marcas de Pneuma) agraciando a leitura.

O final é épico, o que só me dá mais e mais vontade de ter logo a continuação a meu dispor para uma nova leitura prazerosa. Recomendo infinitamente!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“[...] Às vezes, acreditamos que já sabemos a melhor decisão a ser tomada, depois nos frustramos por não termos ouvido outras pessoas.”

“[...] Um navio pode estar seguro em um porto, mas não foi para isso que ele foi feito.”

“- A reputação nem sempre está relacionada com o caráter. Caráter é aquilo que você é. Reputação é aquilo que dizem que você é.”

“- Liberdade não significa apenas estar livre de correntes e prisões. Você pode estar sujeito a tudo isso e mesmo assim sentir-se livre. Só podem prender sua mente e seu coração se você permitir.”

BRASILEIROS POETANDO: QUARTO POEMA + EXTRAS!





Hey galerinha! Hoje eu trouxe não um, mas três textos da ganhadora do Brasileiros Poetando, para finalizar as postagens! Esperamos que gostem! 



Texto 1:


O amor de prima Vera

O despertar de sabores, o cultivo das flores, os jardins de amores. A infância, a juventude, as sementes do presente. Os frutos de um casulo, assim quase maduro, mas que precisa de um tempo. A metamorfose, a borboleta, o poder das asas. O primeiro voo meio desajeitado, não conhecia o que era ser amado, pousou para acalmar seus ânimos. Pensou que sabia de tudo, já conhecia o mundo e foi se aventurar. Quebrou as suas asas, perdeu o controle de si, foi arrastada pelo vento. E numa estação tão sentimental, prima Vera simplesmente parou de sentir. Voou para longe. Sozinha.


Texto 2:


Jaz de cera

Ela era feito giz de cera, desgastada nas mãos de amadores. Serviu de azul-turquesa, para o céu, embora não gostasse da forma como a esfregavam no papel. O amarelo-ouro coloriu o dia ensolarado, mas os raios causaram uma queimadura. Certamente, não se preocuparam. É só um giz de cera! Não existe forma de que isto o fira. Apontaram. A lâmina talhou em suas extremidades, modelando de acordo com o que precisavam no momento. Púrpura. Sem que precisasse cobrir alguma área em branco, fizeram-na sangrar até a última gota. As cores desbotaram e o giz, jaz. Nunca mais viu cor alguma.


Texto 3:


Cor e ação

Coração não bombeia, bobeia. De cor e ação, falta-lhe muito. Acusam-no de oco, mas ele não parece ser vazio. Está rouco. Grita muito! O escutam pouco. Ah, se parassem para ouvir o que ele tem a dizer... Está cansado de servir de decoração. Está por um fio, sem tempo para laços. Desfazendo nós. Nós. 




Espero que todos vocês tenham gostado do concurso, que tal um novo? Dessa vez de contos? Deem opiniões

terça-feira, 21 de março de 2017

RESENHA: MASCHERE (MÁSCARAS DA VIDA) - MARCIA REIS MAC EVAN.




Hey cupcakes, como estão? Hoje, nessa noite fria, trouxe resenha para os amantes de romance. Confere!




LIVRO: Maschere (Máscaras da Vida).
AUTOR: Marcia Reis Mac Evan.
PÁGINAS: 222.
EDITORA: Angel.
SINOPSE: ” Após três anos da morte trágica de seu noivo, Karen passa a receber a visita de um misterioso homem cuja face ela jamais consegue ver.
Quem seria esse homem? Seus instintos, embora pareça que ela está enlouquecendo, gritam para ela que ele é seu noivo morto, cujo corpo jamais fora encontrado.
Com isso, ela passa a reviver todos os dramas que já estavam adormecidos.
Entre uma tentativa de assassinato e uma dolorosa recuperação, Karen precisa descobrir a verdade que lhe foi escondida por aqueles a quem ela mais ama e enfrentar todos os medos que a atormentam.
Com tantos obstáculos, só a persistência e o amor serão capazes de fazê-la superá-los e alcançar a felicidade.”


“Maschere” conta a história de Karen, uma jovem de pouco mais de vinte anos que se vê ‘perseguida’ por um homem encapuzado que sempre aparece perto de sua casa às quatro da manhã.


Ao resolver confronta-lo descobre que ele é nada menos que seu noivo que todos pensavam estar morto. O que ambos ainda não sabem é que o perigo que tentou matar Julier (o noivo) está bem mais perto do que imaginam.


Entre muito amor, dor e as intromissões de Camila – outro perigo para a relação do casal -, Karen e Julier terão de enfrentar muitos desafios para ficar juntos, mas será que seu amor será forte o bastante?


Marcia (autora) traz a nós, leitores, um romance narrado em primeira pessoa um pouco picante e com suspense de um jeito que nunca tinha visto antes. Com a escrita quase que impecável (salvo alguns errinhos de digitação), nos prende e faz a leitura ser muito rápida.


Todos os personagens tem sua personalidade muito bem criada, desde aos que pouco aparecem (como a irmã de Julier) quanto aos principais. São tão bem criadas que vi em Camila, minha inimiga mortal, afinal sempre há em um relacionamento alguém querendo estragar.


Esse fato citado acima, só deixou os personagens mais comuns, o que me agradou bastante. Até porque, por mais que eu goste de uma fantasia, um romance cotidiano e ao mesmo tempo único sempre é bom!


Dizendo isso, posso admitir que com o livro tive muitas emoções, que variavam entre muito amor, tristeza, raiva, ciúme e muitos outros. O que é melhor em um livro do que encontra tantas sensações assim, certo? Certíssimo!


A diagramação do livro é bem delicada. Com a costumeira divisão de capítulos nomeados, esse contem também algumas imagens de fundo e pequeninas máscaras. Além de claro, conter uma capa lindíssima.


Essa foi a primeira obra que li da autora e gostei bastante. Espero poder ler muito mais. Indico!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“Me encontre onde fui dominado, para soluções e sentimentos.”


“Algumas pessoas podem até dizer que nossa felicidade existe porque temos pouco tempo juntos, ou que não enfrentamos problemas grandes no nosso casamento, ou porque a paixão ainda não morreu. Para todas essas pessoas, eu respondo: “não sei se seremos felizes para sempre, apenas sei que, agora, somos felizes.”







domingo, 19 de março de 2017

RESENHA: A PHOENIX (O LEGADO MAYTREEL) - ALEXSANDRA FIGUEIREDO.




Hello cupcakes! Como vocês estão? Hoje vim trazer uma resenha bem quente  atrasadinha, mas espero que gostem!





LIVRO: A Phoenix (O Legado Maytreel).
AUTOR: Alexsandra Figueiredo.
PÁGINAS: 305.
EDITORA: PenDragon.
SINOPSE: “Este é o primeiro livro da trilogia O Legado Maytreel, narrando a história de Harriet, que está completando seus dezesseis anos de idade, tendo sua vida equilibrada como sempre desejou que fosse. Rodeada por pessoas que dizem amá-la, e que estão sempre dispostos a apoiá-la, ela se acomoda ao conforto de sua vida. Mas subitamente, após seu aniversário, se dá conta de que há algo de errado e diferente consigo mesma. E não seria por menos. Seu mundo cai ao descobrir que é adotada e que possui poderes sobrenaturais, que são absurdamente incontroláveis. Ela então é deixada pelos pais adotivos, com Caleb, um ex-professor de matemática que mora sozinho em uma mansão fora da cidade. Seus pais acreditam que Harriet tem de descobrir suas raízes e para isso ela terá que enfrentar muitos conflitos buscando respostas com desconhecidos. Harriet é enviada por Caleb a um Instituto de jovens assim como ela, próximo a cidade de Nova Orleans (Pensilvânia), e é deixada novamente por mais uma pessoa em que ela se deixou confiar. No entanto, percebe que talvez não seja a única garota diferente e que talvez não seja tão ruim ser o que ela é. Em Claverd, ela fica envolvida por pessoas que a ajudam a procurar as respostas que ela tanto precisa. Mas a cada enigma que ela desvenda, outro surge em seu lugar. Sendo uma Phoenix do fogo, Harriet descobre que há mais quatro Phoenix além dela, e que todos eles têm um destino em comum. Todos têm de encarar diversos mistérios sobre si mesmos e sobre a origem do universo ao qual eles pertencem. Harriet está convicta em descobrir quem são seus verdadeiros pais e enfrentar todos os obstáculos ao lado de seus novos amigos. Será que ela irá aceitar as respostas que encontrar? sobre a origem de seu mundo, sua família e talvez um grande amor? Até onde vai a sua fé? Até que ponto você acredita no poder da vida e do mundo surreal?”


A obra “A Phoenix” conta a história da jovem Harriet Montgomery, uma garota albina que leva uma vida cotidianamente normal. Até o seu aniversario de dezesseis anos. Após esse dia, seus pais e irmã começam a ficar estranhos com ela e a abandonam, dizendo que é adotada, com um ex-professor de matemática chamado Caleb.


Como se somente isso não bastasse para que a vida da garoa mudasse, ela descobre que não é uma humana comum, Harriet é uma Phoenix muito poderosa. Com essa descoberta, ela vê todos os seus conceitos sobre sua via ruírem, mas o que ela nem imagina, é que seus problemas estão apenas começando...


Tenho que admitir que ao ver a capa e ler a sinopse, imaginei se tratar de uma história bem diferente da qual li. “A Phoenix” é um livro jovem e traz muito dos sentimentos adolescentes consigo entre eles a insegurança, a dor de ser abandonada, a raiva por não saber sua história e algumas paixões.


Harriet, a personagem principal, amadurece dentro da história em alguns momentos, mesmo que isso não esteja tão perceptível em outros tantos. A história em si, do legado dos personagens, das vidas passadas e os personagens fantásticos me agradaram bastante, mas não posso deixar de dizer que algumas coisas me incomodaram.


Dentre essas coisas, estão os erros, a má separação de falas dos personagens, os acontecimentos confusos que encontrei em muitos momentos e a grande repetição de fatos.


Outra coisa que ainda não tenho definido se me incomoda ou não, é o fato de ter momentos em o que livro s ‘cruzava’ com Harry Potter e o Cálice de Fogo, por ter uma história muito parecida como: tirar o nome de um aluno do cálice em chamas para os jogos, e esse aluno ser o mais inesperado possível.


Apesar de ter esses pontos negativos para mim, encontrei outros tantos positivos, e alguns deles são a grande quantidade de frases lindas que levarei para vida, a forte amizade dos personagens e a diagramação que vem com uma linda capa e uma super divisão em capítulos nomeados e numerados.


Espero que no segundo livro – pois sim, estou ansiosa para saber o restante da trajetória da grande Phoenix – haja uma melhor lapidação, que faça o livro ficar mais com a cara e estilo somente de Lexy (a autora).


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“[...] Alguns lugares nos fazem refletir onde nosso coração está e onde deveria estar. Onde pertencemos e onde estamos agora. Onde estamos e para onde devemos ir. Onde nossas lembranças estão e onde elas ficarão. Como é o nosso presente e como será nosso futuro. Ao longo do tempo, lugares assim deixam de ser apenas lugares, deixam de ser lembranças e passar a ser uma parte de nós.”


“ Às vezes na vida as coisas têm de ser assim. Nós deixamos e somos deixados. E tudo que restará serão corações incertos, ocupados com tristeza e com a esperança de que o  mundo possa trazer-lhe de volta aquilo que foi tirado.”


“Temos que rir de certas ocasiões na vida para não precisar chorar.”

quinta-feira, 16 de março de 2017

RESENHA: FILHOS DA LUA (O LEGADO) - MARCELLA ROSSETI.




Queridos, hoje trouxe para vocês a resenha de um livro que só aumentou a minha adoração pela lua. 🌙💕 Espero que gostem!





LIVRO: Filhos Da Lua (O Legado).
AUTOR: Marcella Rossetti.
PÁGINAS: 488.
EDITORA: Avec Editora.
SINOPSE: “Você consegue imaginar que a vida que te ensinaram a viver pode não ser aquela para a qual nasceu? Que tudo o que acredita pode não ser inteiramente verdade? E que existem criaturas conhecidas como trocadores de pele vivendo entre nós?
Em Filhos da Lua: o Legado, você descobre um novo universo de fantasia urbana, tendo como cenário o nosso país. A autora apresenta uma aventura cheia de mistérios cuja personagem principal é Bianca, uma adolescente que não imagina que sua chegada na cidade desencadearia uma série de acontecimentos capazes de transformar completamente a sua vida e revelar os segredos de um perigoso mundo.”


A obra “Filhos da Lua” conta a história da jovem Bianca Bley, que vive se mudando com sua irmã de consideração, Laura, após a morte de sua mãe e seu padrasto. Em sua última mudança, para Santos, Bianca tem de passar mais uma vez pela sensação de ‘aluna nova’, e com isso enfrenta um vexame: quase desmaiar na frente do garoto mais bonito do colégio e seus amigos.


Nesse momento, ela nem imagina que acaba de conhecer pessoas que podem saber mais sobre ela do que ela mesma. Em meio a acontecimentos completamente estranhos, um amor, superações, desafios e muita luta, Bia vê sua vida mudar de cabeça para baixo quando descobre que pode não ser uma simples garotinha órfã...


Sou obrigada a dizer que fiquei surpreendida com esse livro. A escrita de Marcella (autora) é bem jovem e madura, nos prende de uma forma avassaladora, e tenho a absoluta certeza que se não estivesse tão atarefada (os estudos me consomem!) já o teria terminado há muito tempo.


Toda a trama gira em torno de seres fantásticos como Karibakis, Vorazes, Griats, Pérfidos e até um grande e maligno deus, Hoark, o que fascinou bastante, pois amo histórias desse gênero.


Para mim, foi bem mais interessante ser apresentada a todas as linhagens que existem no livro junto com a personagem principal, do que ver completamente tudo pelo olhar dela. Por conta disso, achei maravilhoso ser um livro escrito em terceira pessoa.


Mesmo sendo escrito da forma dita acima, a autora nos proporcionou momentos com os sentimentos de Bianca, como: suas paixões adolescentes, seu amor pela irmã, o medo de não conseguir ser o que todos esperavam, a coragem que crescia nela a cada luta vencida, entre tantos outros.


E sim, quando falo de luta, não falo só das travadas na mente, mas também das físicas, já que a nossa pequena Bia é, em determinado momento, treinada por Julian, o que a deixa mais confiante faz a sua personalidade crescer mais dentro da história.


E por falar em Julian... Com certeza, estou apaixonada. Ele foi uma dos personagens que mais gostei, fora Bianca, e achei lindo ver o interior dele ser revelado, apesar de algumas de suas atitudes no início me irritarem um pouquinho.


Vou me permitir dizer que mesmo que esse livro nos apresente muitas coisas sobre o novo mundo de Bianca, ele foi só o começo de algo muito maior. Pois, se a intenção da autora era nos deixar desesperados pela continuação, ela conseguiu e merece até um prêmio!


 Já quero e preciso muito do segundo livro! Indico muitoooooooo!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“– Eu sou Julian – imitou ele com voz dramática –, aquele cujo olhar ignora o aquecimento global e congela qualquer coisa viva por onde anda. Eu sou Julian, cuja sombra gera blackouts e cuja risada mata qualquer criancinha de medo.”


“– A morte nunca é um acordo vantajoso – disse ele, enquanto seu corpo estremecia pronto para finalmente liberar sua fúria.”


“– Você precisa abraçar a dor, Bianca. Senti-la não é o problema. O problema é ficar incapacitada por ela.”


“Nem sempre a verdade pode ser descoberta com uma simples palavra [...].”



“-[...] Eu posso aceitar o medo da vida ou me deixar cair, desistir, pois acho que nem mesmo eu sobreviveria ao dano maciço dessa queda.”

segunda-feira, 13 de março de 2017

BRASILEIROS POETANDO - TERCEIRO POEMA!




Boa tarde meus cupcakes! Chegamos hoje a mais uma segunda-feira do mês e claro, ao terceiro texto poético da vencedora do Brasileiros Poetando! Eu e ela esperamos que gostem!






Amar, verbo intransitivo


Atração. Puxou-os feito imã.
Tração. Arrastou-os à força.
Traição. Quebrou o magnetismo e a energia.

Desculpas.

 
Culpa. Substantivo feminino.
Culpado. Adjetivo substantivo masculino.
Implosão. Resta-os o ressentimento.
Eclosão. Expõem-se os sentimentos.
Que se exploda!  Gritaram em uníssono.
Explodiram. Estilhaços de um amor fragmentado.

 
Expediram. Um aceno de despedida.
Ex. Deixaram de ser o que eram.
Eis que nunca serão os mesmos.
És o amor. (Ou a falta dele).



Nos contem aí nos comentários o que acharam! Vamos adorar saber!
 






sábado, 11 de março de 2017

RESENHA: ESCURIDÃO NO FIM DO TÚNEL - HENRIQUE DE MICCO.





Hoje vamos ter mais uma resenha do terror! Espero que gostem e procurem o livro, indico!



LIVRO: Escuridão No Fim Do Túnel.  
AUTOR: Henrique de Micco.
PÁGINAS: 78.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE: Escuridão no Fim do Túnel traz alguns contos sombrios, misteriosos, aterrorizantes e, principalmente, escuros, conforme são narrados por Tomas ao seu filho, Tiago. Todas as curtas e intensas histórias possuem algo em comum: São narradas, em seu ápice, do ponto de vista dos diferentes protagonistas munidos de lanternas, numa tentativa inútil de afastar de si a sensação de morte e o medo do desconhecido que pode emergir das sombras quase impenetráveis.”



O livro “Escuridão no Fim do Túnel” é uma pequena coletânea de contos que se entrelaçam por conta de uma simples lanterna. Sentados para mais uma noite de terror, um pai (Tomas) começa a contar para seu filho (Thiago) uma serie de histórias sombrias.


Contudo, o jovem e empolgado Thiago pode não saber que ao fim dessas histórias, que podem muito bem não serem apenas histórias, terá uma surpresa assustadora...


Quem me acompanha no Instagram, já sabe que essa foi uma leitura do tipo ‘rapidex’, mas foi bem proveitosa. Henrique (autor) tem palavras fáceis e acabou por conquistar mais uma leitora com sua escrita.


Mesmo sendo um livro de contos, estes se entrelaçam formando uma história muito bem dividida e surpreendente. Cada linha de suspense, faz o clima de horror da obra ser ainda mais satisfatório ao leitor.


No começo não percebi que os contos se ligavam, até que comecei a esperar pelo próximo para entender mais afundo o que estava acontecendo. E olha, a cada vez que conseguia uma resposta, uma nova questão surgia!


O autor conseguiu compor histórias misteriosas que nos sugam para dentro delas de forma incrível. O final, além de surpresas, nos traz a afirmação de que por mais que esteja afundada no medo, a luz sempre existirá se você escolher vê-la.


Essa afirmação do fim foi um dos pontos que mais apreciei na história. Estou super ansiosa para ler mais obras do autor, recomendo muito!


Ah, só mais uma coisinha... Se você está acostumado a sair à noite com uma lanterna 🔦 ou ler/contar fatos de terror perto de uma, cuidado. Nem sempre objetos simples são o que parecer ser!


Deixo abaixo, para você, a minha seleção de trechos:


“- O show de horrores vai começar!”


“A  vida  é  realmente  injusta,  e a morte implacável.”


“[...] O que aconteceu a essas pessoas foi obra minha. Obra da morte. Esta, por sua vez, é exata e não admite sequer resquícios de uma possível interferência do acaso. Ela é fria, e opera de forma completamente calculada.”




quinta-feira, 9 de março de 2017

RESENHA: CELA SEM PORTAS - MARCEL TRIGUEIRO.




Boa tarde pessoal! Hoje trouxe a resenha do livro sequencial ao da última. Espero que gostem!



LIVRO: Cela Sem Portas.
AUTOR: Marcel Trigueiro.
PÁGINAS: 323.
EDITORA: Produção Independente.
SINOPSE: ”Portador de uma forma rara de esclerose, Miguel consegue mover apenas os olhos, pálpebras e parte da mão direita, o que lhe permite ter um mínimo de independência para portar-se normalmente no mundo cibernético e sair-se relativamente bem na escola. Como ontem foi dia dos professores, Miguel redigiu e sua mãe transcreveu de próprio punho uma pequena carta que pretendem entregar à professora preferida dele, numa singela homenagem, assim que ela chegar para dar aula.
Nessa mesma manhã excepcionalmente quente de primavera, pouco mais de quinze pessoas são feitas reféns por dois homens armados dentro de um ônibus próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. Tirar as vítimas das garras daqueles sequestradores deveria ser competência exclusiva das forças policiais cariocas. Entretanto, depois que a Polícia Civil começa a agir e a imprensa monta seu aparato para que todo o país fique ciente do que está acontecendo, uma fatalidade faz com que o agente federal de Inteligência Matheus Erming entre na operação. A partir daí, a situação vai ficando cada vez mais desesperadora para todos os que acompanham o sequestro.
Para Miguel e sua mãe, que assistem a tudo na escola, o desespero e a sensação de impotência são amplificados quando se deparam com uma dura realidade e uma possibilidade talvez não tão remota. A realidade: a professora não chegará a tempo para a aula. A possibilidade: que aquela carta jamais seja lida.


“A minha cela não tem portas. Tem apenas uma minúscula janela, por onde jamais conseguirei passar. Mas se essa janela está hoje totalmente aberta, é graças a pessoas especiais como você.”

“Cela Sem Portas” conta uma nova história da trajetória do agora detetive, Matheus Erming. Em uma manhã tipicamente quente do Rio de Janeiro, ele recebe a notícia que alguém que conhece há muito tempo faleceu e pode estar envolvido em um evento cheio de terror.

Esse evento é o sequestro de um ônibus, com cerca de 15 reféns, por dois homens que querem a liberdade de um chefão do crime. Dentre esses reféns está Ângela, uma professora muito querida que dá aulas para uma turma de adolescentes especiais, como Miguel.

Miguel é portador de esclerose e consegue movimentar apenas pouquíssimas partes de seu corpo, contudo esse controle – ainda que pequeno – poderá ajudar muito Matheus e Ângela. Afinal, nem sempre podemos saber quem está do nosso lado...

Mais uma vez, Marcel (o autor) conseguiu me surpreender e reafirmar a minha paixão por esse gênero literário. Como disse na resenha do primeiro livro (leia aqui), “Cela Sem Portas” prometia, e acabou se superando.

Com menos informações técnicas, somos apresentados a uma variedade maior de personagens. Ou seja, as cenas se intercalam umas com as outras e são separadas por horas referentes ao sequestro (salvo algumas cenas de anos anteriores).

Em todas as páginas enfrentamos uma corrida contra o tempo com os personagens já que os ‘cavalheiros do sequestro’ afirmam que a cada hora sem a liberdade de seu chefe, uma pessoa morrerá. E dessa afirmação, muitas surpresas são vistas.

Incrivelmente envolvente, a trama - narrada novamente em terceira pessoa – nos faz querer ler mais e mais sem nem tirar os olhos do livro. Sofri por ter terminado e ter que me desvencilhar dos personagens.

Com a diagramação simples, mas linda, e sem erros como o primeiro livro, essa obra deve ser lida por todos os amantes de suspense. Já tive vários pedidos de empréstimos!

Super amei ter mais esse convívio com essa escrita divina. Quero mais!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“Não havia limites para a crueldade e a covardia, isso era uma coisa que se aprendia depois de alguns anos na polícia.”

“[...] Sim, dava valor a pequenas coisas, até por força do destino, e uma das coisas ditas pequenas na realidade são enormemente importantes é a amizade. Simples amizades sinceras davam sentido a sua vida.”

“Quem dispara uma vez, dispara duas.”

terça-feira, 7 de março de 2017

BRASILEIROS POETANDO: SEGUNDO POEMA!




Hey pessoal! Aqui está o poema dessa semana da ganhadora do concurso! Achei lindo, espero que vocês também achem!!!





  Desistência recíproca


Quando você decidir vir,
E se resolver ficar,
Mas quando você partir,
E se eu ainda te amar?

Quando você voltar,
E se mexer comigo,
Mas você sempre se vai,
E isso é um perigo.

Quando você me quiser,
E se eu cansar de você?
Quando eu disser não...

Quando eu recusar,
E se eu deixei de sentir?
Talvez seja minha vez de ir.



O que vocês acharam? Ela vai ler os comentários, então deem suas opiniões!💗💗