segunda-feira, 27 de março de 2017

RESENHA: ADELPHOS (A REVELAÇÃO) - M. PATTAL.



Bora para mais uma resenha, cupcakes? Bora sim! Dessa vez vai ser do fantástico Adelphos!





LIVRO: Adelphos (A Revelação).
AUTOR: M. Pattal.
PÁGINAS: 370.
EDITORA: Pen Dragon.
SINOPSE: “Enzo, Mila e Dan são três adolescentes com deficiência que acreditam ser possível competir em iguais condições com os demais atletas olímpicos. Enzo é surdo e treina na modalidade tiro com arco. Mila tem glaucoma de nascença e treina na ginástica artística, enquanto Dan usa uma prótese na perna esquerda para treinar no atletismo.
De uma forma inesperada, após o contato com uma luz misteriosa, eles são transportados para um mundo fantástico chamado Oykos, parcialmente dominado pelo Dragão Ponéros.
Enquanto tentam encontrar as respostas e o caminho de volta para casa, eles precisarão enfrentar os perigos que surgem durante a jornada. Seres das trevas, chamados Éktros tentarão impedi-los de chegarem ao único local capaz de fornecer as respostas que precisam: a Terra de Adelphia.
Em Oykos os preparativos para os Jogos da Liberdade estão a todo vapor. Apesar do nome positivo, os Jogos são mortais e o seu resultado pode alterar o destino de todos os habitantes daquele mundo. Enquanto isso, os rumores de que um evento chamado “A Revelação” estaria prestes a acontecer e acabar com o domínio do dragão, tornam o cotidiano dos Oykanos tenso, gerando grande instabilidade entre as Terras. 
Adelphos é uma saga de tirar o fôlego, repleta de aventuras, surpresas, reviravoltas e mistérios que prendem o leitor da primeira à última página, ao mesmo tempo em que o leva a refletir sobre dilemas e conflitos do mundo real.”

 “Adelphos” começa com a história muito parecida de três jovens: Enzo, Mila e Dan. Enzo é um adolescente surdo, Dan perdeu sua perna em um acidente e Mila tem um problema de visão e todos sonham em entrar para as paraolimpíadas. Entretanto, mesmo com essas dificuldades, os três são escolhidos para um bem maior e através de uma bola de luz que surge nas águas, adentram em Oykos.

Oykos é um mundo totalmente diferente dos que os jovens conhecem. Nesse mundo existem reinos diversos, anões, gigantes, dragões, magia, seres das trevas mortos-vivos, deuses e muitas batalhas.

Enquanto tentam descobrir onde estão e como retornar as suas vidas, os três jovens (que no início não se conheciam) têm em seu caminho muitos obstáculos e revelações. No entanto, qual será o real motivo de terem sido convocados para aquelas terras? Será que Pneuma, o deus maior e benevolente tem algo haver com isso, ou será Ponéros, o dragão tenebroso que os quer por perto?

Ao iniciar a leitura, me deparei com dois mundos que são ao mesmo tempo iguais e completamente diferentes: o nosso e Oykos. Diferentes por Oykos ter seres fantásticos, enquanto em nosso mundo temos apenas animais e nós, humanos. Mas, iguais sim, por serem ambos lavados por revoluções e possuírem conflitos nas mentes dos habitantes que carecem de certos cuidados.

Nesse clima fantasiosamente real, Pattal nos revela (em uma escrita maravilhosa) um novo mundo e personagens incrivelmente próximos ao nosso coração e mente, até mesmo os mais malvadinhos.

Mesmo se tratando de uma ficção, o autor conseguiu trazer ensinamentos e reflexões perfeitos para todos, mas em especial para aqueles que sofrem com problemas familiares, deficiências, preconceito e aqueles que se encontram em uma posição de ‘baixa autoestima. Não se engane, você pode superar tudo se o seu coração assim desejar!

Extremamente bem construído e rico em detalhes, o livro me surpreendeu de uma forma adorável. Contudo, para alguns leitores certas coisinhas podem ser complexas, tais como o grande número de personagens, terras, criaturas e os nomes ‘estranhos’, por isso é necessário uma grande atenção na leitura. Coisa que não empecilho algum!

A obra possui 66 capítulos curtinhos (fora prólogo e epílogo), uma linda capa, mapas que ajudam a entender a disposição das terras de Oykos e pequenas Pistis (marcas de Pneuma) agraciando a leitura.

O final é épico, o que só me dá mais e mais vontade de ter logo a continuação a meu dispor para uma nova leitura prazerosa. Recomendo infinitamente!

Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:

“[...] Às vezes, acreditamos que já sabemos a melhor decisão a ser tomada, depois nos frustramos por não termos ouvido outras pessoas.”

“[...] Um navio pode estar seguro em um porto, mas não foi para isso que ele foi feito.”

“- A reputação nem sempre está relacionada com o caráter. Caráter é aquilo que você é. Reputação é aquilo que dizem que você é.”

“- Liberdade não significa apenas estar livre de correntes e prisões. Você pode estar sujeito a tudo isso e mesmo assim sentir-se livre. Só podem prender sua mente e seu coração se você permitir.”

2 comentários:

  1. Oi! Tenho a impressão de que a sinopse é familiar, mas não me recordo onde vi... Faz um tempo já. Adorei sua resenha e mesmo não tendo realizado a leitura ainda tenho um sentimento positivo em relação a essa obra. Parece bem interessante e crítica e reflexiva, características estas que prezo muito em uma leitura. Parabéns pelo post! :D

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelos seus comentários sempre tão lindos! Realmente, a obra é maravilhosa!

      Beijinhos literários <3

      Excluir