segunda-feira, 3 de abril de 2017

RESENHA: MARIA DO SOL - ALICE RAPOSO.



Olá pessoal! Como você estão? Hoje trouxe uma resenha bem fofinha para vocês! Espero que gostem 💕




LIVRO: Maria do Sol.
AUTOR: Alice Raposo
PÁGINAS: 127.
EDITORA: Fundação Quixote.
SINOPSE: “ ‘Um crime, uma culpa, um fantasma...’
Todo livro tem sua história, algo que foi o propulsor para sua criação. Maria do Sol surgiu de uma madrugada que trouxe um sonho. Durante o dia se materializou em um conto. Dois anos após, voltei-me para ela e a concluí.
Pedrinho e Maria do Sol irão nos levar por um caminho sem volta. É claro! Pois todo percurso que se segue não há como retroceder em suas consequências. Por isso, agir sem pensar não é um meio a se seguir. Seremos morada das consequências de nossos atos.
Portanto, é tão importante analisar cada passo que será dado, não matematicamente como num jogo, pois a existência se tornaria fria e sem vida, mas com verdade, diálogo e sinceridade no agir.”


“Maria do Sol” se inicia com a estória de Dona Carlota e Seu Felinto, que são pais de Vicentinho. Este se casou com Sofia e, juntos, deram a luz a Pedro. Pedrinho é uma criança triste e solitária que vê sua pequena vida mudar quando, em uma festa de aniversario de sua avó, conhece Maria do Sol.


Logo os dois jovens ficam amigos, mas por não ser rodeado deles, Pedrinho fica muito enciumado quando vê a nova amiga se relacionando com outras crianças. Sem pensar, ele toma a atitude de empurrá-la, seu erro fatal.


O jovem Pedrinho cresce assombrado pelo fantasma da menininha e sem se relacionar, para não machucar mais ninguém. Contudo, em um belo dia, a vida de Pedrinho pode mudar novamente por conta de uma simples parada de ônibus...


Belo e encantador são palavras que definem bem esse livro. A leitura simples traz mensagens maravilhosas sobre as consequências de atos impensados e sobre o quão grande é o poder de uma conversa.


Admito, realmente, que imaginava algo totalmente diferente no interior dessas poucas páginas, mas me surpreendi lindamente com a escrita de Alice (a autora). Reflexivo e ao mesmo tempo muito leve, pode ser facilmente lido em poucas horas, como foi meu caso.


Mesmo não gostando muito de livros com ilustrações (fazer o que, não faz meu estilo!), as que estão presentes no livro são adoráveis e só tornaram a leitura mais envolvente ainda, se é que é possível.


Já que falei de ilustrações, vou dar uma palavrinha sobre a diagramação: incrível. Com orelhas, divisão em capítulos, sumário e uma capa muito fofa, o único ‘defeito’ é já ter terminado. Com toda a certeza digo que esse final deixou um gosto gigante de quero mais!


Finalizando, a obra é maravilhosa e singela, mas contém em suas palavras um tema espetacular, coisas que todos nós temos dentro de nós em algum momento de nossas vidas: a culpa e o medo de machucar. Recomendo muitíssimo!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“[...] o passado é um abismo que se abre e não temos como voltar atrás, não é verdade?”


“A vida tem a mania de tirar quem amamos sem nos avisar.”


“[...] Amar a gente só ama de verdade uma vez.”


“Pedrinho, na vida quando algo acaba, dá a oportunidade de algo melhor começar.”

2 comentários:

  1. Acho essa leitura bem leve apesar da temática parecer pesada, e ah! Amo as ilustrações, é um livro lindo <3 Parabéns pela resenha, conseguiste captar a essência dele :D

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada. Eu também o achei bem leve <3

      Excluir