sábado, 1 de abril de 2017

RESENHA: O CORTIÇO - ALUÍSIO DE AZEVEDO.



Chegou mais uma resenha de um livro da queridinha do blog Editora Vozes! Espero que gostem de montão!




LIVRO: O Cortiço.
AUTOR: Aluísio de Azevedo.
PÁGINAS: 346.
EDITORA: Vozes.
SINOPSE: “Quando foi publicado, em 1890, O Cortiço consagrou para sempre o nome de Aluísio Azevedo como o principal representante do nosso Naturalismo literário. Este romance narra o nascimento, vida e morte de um cortiço, isto é, a pobre estalagem é a protagonista da sua própria história, numa emblemática metalinguagem representativa marcada pela vivacidade e pela tensão das relações humanas ali travadas.”



A obra “O Cortiço” traz ao leitor a incrível história de um cortiço, criado por João Romão, um homem que foi crescendo na vida juntamente com sua ambição. No cortiço habitam muitas pessoas com diferenças e igualdades entre si, e o pátio desse lugar é palco de muita musica, brigas e amores.


Iniciei a leitura já sabendo o estilo do autor (é minha segunda leitura dele, sendo a prima O Coruja), mas confesso que me surpreendi com tantas características naturalistas e tamanha riqueza de detalhes.


O livro trata de muitos temas intensos, sendo um deles o sexo, que mesmo hoje ainda é um certo tabu, e com uma visão somente sua o autor, em muitos momentos, chega até a animalizar os personagens.


Sendo claramente um dos melhores exemplos de literatura clássica, a escrita é bem rebuscada e com muitos jargões usados no século 19 (que é quando a história se passa) que para muitos seria de difícil compreensão, mas a edição da Vozes nos traz notas de rodapé bem explicativas.


É límpido como um dia claro a critica social que se entranha no livro e todos os acontecimentos que mesmo tendo sido escritos há anos, ainda conseguem ser surpreendentemente atuais.


Uma das únicas coisas que me incomodou no livro, foi o fato de ser tão curto, pois o cortiço em si abre muitas possibilidades de estórias dentre os personagens, e eu ficaria muito contente em poder ler todas elas.


A trama é de uma leitura complexa, mas genial. Sugiro a todos que leiam, mesmo aqueles que ficam com um pé atrás por ser uma obra desse gênero. Desconstruam seus preconceitos e construam uma morada n’O Cortiço!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


“Porque, só depois que o sol lhe abençoou o ventre; depois que nas suas entranhas ela sentiu o primeiro grito de sangue de mulher, teve os olhos para essas violentas misérias dolorosas, a que os poetas davam o bonito nome de amor.”

2 comentários:

  1. Oi! Minha experiência com esse livro foi uma "obrigação" por causa da escola e nem me recordo ao certo se cheguei a finalizá-lo, pois na época estava fascinada com outras literaturas e de clássicos mesmo era o Machado de Assis que eu curtia. Hoje, vejo que veria a obra com um outro olhar :D

    Adorei!

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Indico que leia! Ler por obrigação assim, nunca ajuda 'naquele olhar'. É ótimo!

      Excluir