segunda-feira, 29 de maio de 2017

RESENHA: AS CRÔNICAS DO PLANETA ALMA - JAIRO AZEVEDO.



Hoje trouxe para vocês uma resenha de... Outro mundo!




LIVRO: As Crônicas do Planeta Alma.
AUTOR (A): Jairo Azevedo.
EDITORA: Selo Jovem.
PÁGINAS: 200.
SINOPSE: “Assim que a princesa Asan, a esperançosa, nasceu no olho de um furacão bem no meio do Rio da Vida foi levada pelo Mensageiro alado ao País da Bondade que ficava localizado no Leste do Continente dos Sentimentos. O que ela nem os demais moradores do Planeta Alma sabiam é que a Oeste, no País da Maldade, o rei Svartã, o egoísta, buscava meios nada honestos para colocar o Continente dos Conhecimentos contra o País da Bondade. Havia um único propósito nesta busca: despertar a Lenda Antiga. Assim a Deusa SASVATÃ daria as costas aos seus Filhos, as Noites viriam, e finalmente o rei egoísta poderia ser o Senhor Supremo de todo o Planeta Alma.
Seria possível despertar tal Lenda? Com seu possível despertar, SASVATÃ seria capaz de dar as costas aos seus próprios Filhos?”



Em “As Crônicas Do Planeta Alma” somos apresentados a uma realidade um tanto diferente: Um planeta em que os habitantes mais renomados, chamados de Filhos de SASVATÃ (a deusa mão) nascem do Rio da Vida e são imortais, mas também conhecemos as Criaturas Mortais que são os filhos dos reis e rainhas.
                                          

Todo o povo está descontente, pois há eras não nasce um novo filho de SAVATÃ, o que é quebrado com a chegada da Princesa Asan, a esperançosa.  Contudo, muitos problemas ainda estão iminentes, já que o rei Patã (soberano do Continente dos Conhecimentos) foi morto e sua mulher, Sofia, a sábia, é enganada por Svartã (o rei do País da Maldade) que diz que o rei Ignis (do País da Bondade) é o assassino de seu marido.


Uma guerra se inicia. Porém reza uma antiga lenda que conta que se o Planeta Alma entrar em guerra, a deusa SASVATÃ lhe virará as costas. Será isso verdade, ou realmente uma lenda?


Jairo (o autor) conta sua estória aos leitores com uma narrativa surpreendente: como se estivesse contando uma anedota a um amigo antigo.


Essa ficção traz elementos que evidenciam o cotidiano, mas de uma forma mística. Todo o Planeta Alma é dividido entre dois continentes, o dos Conhecimentos e o dos Sentimentos, um ser humano é dividido pela parte que se deixa levar pelo coração e a outra que se apega a razão.


Por sua vez, o Continente dos Sentimentos é dividido pelo País da bondade e o País da maldade, assim como os caminhos que devemos escolher ao decorrer da vida.


Usando dessa temática, o autor infiltrou um pouco de fatos bíblicos na vida de nossos Filhos de SASVATÃ e Criaturas Mortais: SASVATÃ é a deusa maior cheia de amor que criou um mundo e filhos para amar sem nunca desampara-los, mesmo que errem. Se assemelhando assim, um pouco, com Deus, não acham?


Enfim, a trama me envolveu completamente, sendo finalizada em pouco tempo. Admito que, no começo, fiquei um pouco incomodada com o jeito de Jairo escrever, falando diretamente conosco, mas após finalizar a leitura senti falta desse tipo de narrativa nos outros livros!


Somos completamente transportados para os palácios incríveis que foram projetados pela Princesa Zanat, a arquiteta e as flores de fogo colorido já viraram as minhas preferidas. Veja bem, chegaram a roubar o lugar dos lírios roxos!


A diagramação do livro é impecável, sendo a capa muito chamativa e o interior lindo também. A obra possui um prólogo, quarenta e oito capítulos numerados e nomeados, um epílogo e um glossário que não deixa os leitores ficarem um pouco perdidos no meio da estória.


Eu amei demais e já quero o próximo para saber se... Opa, quase escrevo um spoiler! Haha, recomendo muito!


Deixo abaixo, para vocês, a minha seleção de trechos:


Foi então que ela percebeu que ter coragem é também ter esperança que tudo dará certo.”


2 comentários: